Governo Regional atribui apoio de 350 mil euros à Universidade dos Açores

O executivo regional vai dar um apoio financeiro de 350 mil euros à Universidade dos Açores para comparticipar os custos da sua gestão tripolar, segundo uma resolução do Conselho do Governo publicada em Jornal Oficial.

A resolução do Conselho do Governo autoriza “a concessão, por motivos de interesse público, de um apoio financeiro no montante de 350 mil euros à Universidade dos Açores, destinado a comparticipar os custos da sua gestão tripolar, através do pagamento de despesas de funcionamento dos polos de Angra do Heroísmo (na ilha Terceira), Horta (Faial) e Ponta Delgada (São Miguel).

Aprovada em Conselho do Governo Regional, o documento sublinha que a academia açoriana, “devido à sua organização tripolar, apresenta custos acrescidos, nomeadamente no que respeita à sua gestão e funcionamento”, e salienta “o papel” que a academia açoriana desempenha “enquanto marca do conhecimento dentro e fora da Região, contribuindo de forma clara para a elevação do nível científico, educativo, cultural e social, através da sua ação de ensino, investigação e promoção cultural e científica”.

“Deste modo, e representando esta Universidade cerca de 90% do Sistema Científico e Tecnológico Regional, onde se integram recursos físicos, humanos e infraestruturas distribuídas por diversos pontos do arquipélago, nomeadamente, pelas ilhas de São Miguel, Terceira e Faial, o Governo Regional tem vindo a apoiar e a procurar soluções para combater os condicionalismos desta instituição, permitindo a estabilidade e o progresso do sistema científico e do ensino superior, visando a melhoria da qualidade de vida e o desenvolvimento da Região”, lê-se na resolução publicada hoje.

O apoio financeiro à academia açoriana, no montante de 350 mil euros, será objeto de contrato-programa a celebrar entre a Secretaria Regional do Mar, Ciência e Tecnologia e a Universidade dos Açores, no qual constarão também “as medidas de acompanhamento e controlo da aplicação do apoio concedido”, diz o texto da resolução.

foto/JEdgardo Vieira

Lusa/AExp. Online