Vasco Cordeiro garante estratégia para reforçar de rendimentos dos produtores e lutar contra cortes nos fundos europeus

O Presidente do PS/Açores reuniu com a Associação Agrícola de São Miguel para debater a estratégia para o setor. O “reforço dos rendimentos dos produtores”, a “luta contra a redução das verbas comunitárias” e a “formação profissional”, foram alguns dos pontos do programa eleitoral do PS que tiveram acolhimento por parte dos representantes do setor.

Para Vasco Cordeiro esta foi uma reunião “muito útil” que permitiu analisar os desafios que se colocam no futuro, como por exemplo, ao nível do preço do leite pago ao produtor – “uma situação que não consideramos positiva” – e “medidas que podem ser postas em prática para valorizar o rendimento do agricultor”.

O Presidente do PS/Açores considera que se entre 2012 e 2019 houve “uma melhoria daquela que é a produtividade média por exploração”, se “o volume de negócios das indústrias de lacticínios subiu” e se “a produção de queijo – produto com maior valor – subiu”, não se justifica que desça o preço do leite pago à produção. “Não pode é crescer tudo o mais e o preço do leite baixar, o que não pode é crescer tudo o mais e o rendimento do produtor baixar”.

Vasco Cordeiro sublinhou que “a valorização dos produtos de lacticínios dos Açores” é uma forma de aumentar os rendimentos dos produtores de leite e lembrou que já estão em curso algumas medidas, como a “certificação e diferenciação de produtos – entre os quais o leite de pastagem ou a manteiga dos Açores” – e, em simultâneo, medidas para diminuir os custos das explorações – “o caso mais evidente será o da energia elétrica, permitindo por essa via a refrigeração do leite no próprio local da exploração”.

Relativamente aos fundos comunitários, Vasco Cordeiro assegurou o empenho do Partido Socialista, quer através dos deputados socialistas ao Parlamento Europeu, quer através do Gabinete de Representação dos Açores em Bruxelas para defender “a manutenção das verbas do POSEI”.

Quanto às negociações a nível nacional, e em concreto sobre “o envelope que cabe aos Açores no domínio da agricultura”, o candidato a presidente do Governo dos Açores garante: “É para o Partido Socialista absolutamente essencial que se mantenha, no fundo, esta distinção, esta identidade, esta autonomia distinta daquilo que é a gestão das verbas afetas à agricultura açoriana nas suas várias componentes, daquilo que porventura são outras verbas afetas num plano mais nacional”.

Vasco Cordeiro adiantou ainda que em relação à formação profissional se confirmou a “correspondência entre uma ideia de futuro de reforço das qualificações, sobretudo de jovens agricultores, e aquilo que consta também do programa do PS quanto ao reforço daquilo que é a formação técnica de um conjunto de profissões, entre as quais naturalmente a componente da agricultura assume também particular relevância”.

O Presidente do PS/Açores fez, ainda, questão de “sinalizar aquele que tem sido o trabalho de todos os agricultores açorianos, no momento particularmente exigente e desafiante que vivemos”. Elogiou “o facto de nunca terem parado e de terem sido uma peça fundamental da resiliência da Região, em ultrapassar o período mais complicado – podemos dizer mesmo assim – do confinamento”.

foto/DR

AExpresso