Acreditação do Hospital da Ilha Terceira é determinante para posicionamento e projeção desta unidade de saúde

 

O Secretário Regional da Saúde afirmou hoje, em Angra do Heroísmo, que a acreditação do Hospital de Santo Espírito da Ilha Terceira é um passo muito importante no posicionamento e na projeção desta unidade de saúde.

“Estou convicto que esta opção irá potenciar o turismo de saúde, objetivo estratégico para o Sistema Regional de Saúde. E, quando refiro Sistema Regional de Saúde, é exatamente porque se dirige quer ao setor público, quer ao privado”, sublinhou Rui Luís, que falava na apresentação do projeto de acreditação daquele hospital, salientando que o Governo dos Açores tem por meta a acreditação de todos os hospitais e a certificação de todos os centros de saúde do arquipélago.

“O Executivo traçou como um dos objetivos para a saúde a implementação de sistemas de qualidade em todas as unidades de saúde, através da avaliação, análise de eficácia e prossecução dos processos de acreditação”, frisou.

O Hospital da Ilha Terceira é candidato à acreditação associado à empresa Joint Commission International, instituição cujos padrões estão centrados na segurança do utente, tendo acreditado cerca de 1.000 entidades em mais de uma centena de países.

O Hospital de Ponta Delgada foi o primeiro hospital dos Açores a receber esta acreditação, em 2007, sendo que o Hospital da Horta será o próximo a apresentar o seu projeto de acreditação.

No contexto dos centros de saúde, estão certificadas um conjunto de sete unidades de saúde.

O mais recente reconhecimento da qualidade na prestação de cuidados de saúde foi atribuído ao Centro de Saúde do Nordeste.

“A Região está a fazer um percurso planeado e consolidado no caminho da procura da excelência na resposta ao cidadão”, afirmou Rui Luís.

O titular da pasta da Saúde recordou que o Plano Regional de Saúde tem por base o estabelecimento de práticas que promovam um Serviço Regional de Saúde de excelência, correspondendo às exigências da qualidade e humanização.

Em declarações aos jornalistas, Rui Luís referiu-se às vantagens da acreditação para o utente.

“O facto de se seguir uma norma internacional, significa que há um conjunto de regras que podem estar ou não já em vigor, mas têm de ficar bem definidas. É todo um processo interno de reorganização que tem melhorias para o utente”, salientou.

Entre os ganhos que um processo de certificação acarreta, o Secretário Regional destacou a diminuição do risco clínico, conferindo ao utente maior segurança e confiança nos serviços de saúde, o estímulo ao trabalho em equipa e a reorganização dos espaços.

Na ocasião, Rui Luís apelou ao empenho de todos na nova metodologia a introduzir no Hospital da Ilha Terceira, bem como em todas as unidades de saúde que já estão enquadradas nesta mudança e naquelas que vão avançar com candidaturas.

 

AExpresso Online