Presidente do Governo anuncia investimento para garantir fruição turística e sustentabilidade de espaços de importância ambiental

O Presidente do Governo anunciou hoje um investimento de cerca de três milhões de euros no próximo ano em espaços de importância ambiental da Região, com o objetivo de garantir, simultaneamente, a sua fruição por quem os visita e a sustentabilidade ambiental e paisagística.

“A proposta de Plano de Investimentos para 2019 prevê um investimento de cerca de três milhões de euros para a criação e beneficiação de estruturas em zonas conhecidas pelo seu património ambiental único e que, por esse mesmo motivo, são cada vez mais procuradas”, afirmou Vasco Cordeiro.

O Presidente do Governo falava na apresentação da requalificação dos percursos pedestres da Serra de Santa Bárbara, um investimento de cerca de 800 mil euros, no âmbito da visita de trabalho que o Executivo açoriano iniciou hoje à ilha Terceira.

Segundo Vasco Cordeiro, o objetivo desta estratégia é claro e visa garantir a fruição destes espaços, numa experiência sempre muito especial, ao mesmo tempo que se assegura a sua salvaguarda ambiental e paisagística e, por esta via, a sua sustentabilidade.

Exemplos práticos desse trabalho são a recuperação dos trilhos e infraestruturas de apoio da Fajã da Caldeira de Santo Cristo, em São Jorge, a conclusão da zona de apoio às descidas e estacionamento da Montanha do Pico, a recuperação ambiental e o circuito interpretativo da plataforma costeira das Lajes do Pico, a requalificação do miradouro e do trilho da Lagoa do Fogo e o circuito interpretativo na Ponta da Ferraria, em São Miguel, bem como, no que diz respeito à ilha Terceira, o início da construção do Centro de Interpretação do Algar do Carvão e este projeto de requalificação dos percursos pedestres e miradouros da Serra de Santa Bárbara.

Segundo disse, este investimento hoje apresentado resultará, assim, num “ponto de equilíbrio” entre o reforço da qualidade da oferta turística deste espaço e as preocupações ambientais que, necessariamente, têm de estar bem presentes numa intervenção desta natureza.

Na sua intervenção, o Presidente do Governo salientou que este é, também, um investimento que se integra na estratégia regional que tem sido implementada por todo o arquipélago de qualificação de espaços de fruição turística, dando, por esta via, resposta ao crescimento que este setor tem registado nos últimos anos, especialmente desde o final de 2014.

“Basta referir que, em 2017, se verificou, pelo terceiro ano consecutivo, um crescimento significativo da procura turística por esta ilha superior a 20 por cento. No espaço de três anos, o aumento de dormidas na ilha Terceira foi, de longe, o maior dos Açores: mais de 120%, superior à média de 93% registada a nível regional, muito motivado pelo sucesso das operações dos Estados Unidos e Espanha”, sublinhou.

De janeiro a agosto deste ano, e apenas na hotelaria tradicional, impulsionado pelo crescimento médio do preço por noite/hóspede, registou-se um crescimento dos proveitos totais superiores a 8,5%, o que, uma vez mais, mostra que o setor privado está a criar cada vez mais valor deste importante setor económico.

“Se este crescimento, extensivo a toda a Região, resulta em mais geração de riqueza e mais criação de emprego, a verdade é que este mesmo crescimento acarreta uma série de novos desafios para os quais todos nós – entidades públicas e privadas – temos de dar resposta, em parceria e em conjugação de esforços”, disse.

De acordo com o Presidente do Governo, um destes principais desafios tem a ver, exatamente, com a qualificação do destino, componente na qual a requalificação dos principais pontos de interesse turístico constitui uma prioridade, para garantir a sua sustentabilidade futura.

O projeto hoje apresentado contempla a criação de dois passadiços em madeira sobrelevados – um a norte, com 884 metros de extensão, que inclui na parte final um espaço para contemplação da Caldeira de Santa Bárbara, e outro a sul, com 325 metros, assim como a construção de um novo miradouro sobre a costa sul e a criação de zonas de estacionamento para 31 viaturas.

 

GaCS/AExpresso Online