António Ventura denuncia “embuste planeado” sobre Zona Económica Especial na Terceira

O presidente do PSD/Terceira denunciou hoje o “embuste planeado” entre os Governos regional e da República sobre a criação de uma zona económica especial na Praia da Vitória, tendo em conta as explicações avançadas ontem pelo executivo açoriano ao Conselho de Ilha da Terceira.

“A falta de respostas dos ministros e as recentes declarações de Sérgio Ávila fizeram cair a máscara sobre as reais intenções dos governos socialistas”, denuncia António Ventura, sublinhando que “nunca houve vontade política” para executar muitas das medidas inscritas na Declaração Conjunta, assinada entre os dois Governos, em Abril de 2016.

Em causa está a afirmação do Vice-presidente do Governo dos Açores ontem na reunião com o Conselho de Ilha da Terceira, inserida na visita de trabalho do Governo regional à ilha, de que os pressupostos para a criação de uma zona económica especial na Terceira “estão condicionados” — a saber: recessão económica acentuada e crescimento do desemprego.

Sobre as criticas do executivo açoriano ao Governo da República da responsabilidade do PSD/CDS-PP, o líder da estrutura de ilha do PSD e deputado no Parlamento nacional recorda que, após a apresentação desta iniciativa, “Passos Coelho apenas governou um mês”.

Para o social democrata, “fica clara aquela que tem sido a marca desta governação, nos Açores e na República: muito céleres a prometer e parcos a cumprir”.

António Ventura lamenta, ainda, que os governos socialistas “continuem a defraldar as expetativas dos terceirenses, em particular dos empresários locais”, com a continuada “propaganda eleitoralista” que, “cada vez mais, estrangula a economia da ilha”.