De acordo com informações enviadas pelo Governo Regional à Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores (ALRAA), e às quais a agência Lusa teve acesso, ao prejuízo da SATA Internacional junta-se um resultado líquido negativo de 8,13 milhões de euros da SATA Air Açores, responsável pelas ligações aéreas dentro do arquipélago.

Em 2017, o Grupo SATA encerrou o ano com o maior prejuízo da história da empresa, de 41 milhões de euros, um valor quase três vezes superior ao de 2016, que foi de 14 milhões.

A informação enviada pelo executivo regional ao parlamento açoriano não engloba uma comparação com o período homólogo, mas abarca a totalidade das empresas do Setor Público Empresarial Regional (SPER).

Ainda no setor dos transportes, a Atlânticoline, que assegura as ligações marítimas de passageiros e viaturas entre as ilhas dos Açores, registou lucros de um milhão de euros no período em análise.

A SATA Internacional, renomeada há alguns anos Azores Airlines, apresta-se para lançar um novo concurso para a privatização de 49% do seu capital social, depois de o primeiro ter sido interrompido no final de 2018 após a divulgação na imprensa de material tido por classificado.