Remodelação do Centro de Saúde da Calheta concluída em final de fevereiro, afirma Rui Luís

O Secretário Regional da Saúde afirmou, em São Jorge, que a obra de remodelação do Centro de Saúde da Calheta estará concluída no final de fevereiro, salientando que vai trazer uma nova filosofia de trabalho.

A empreitada, no valor de 1,3 milhões de euros, engloba o aumento do número de gabinetes médicos e de enfermagem, um novo espaço de Fisioterapia, a ampliação do Serviço de Urgência e a remodelação do Serviço de Internamento, adiantou Rui Luís, que acompanhou o Presidente do Governo, Vasco Cordeiro, numa visita à obra, no âmbito da visita estatutária do Executivo.

“O apetrechamento destas salas e consultórios irá reforçar o funcionamento dos Núcleos de Saúde Familiar”, frisou o Secretário Regional, salientando que, “na fase final da obra, está a ser reabilitado o Serviço de Internamento, colocando cada um dos quartos com casa de banho privativa, trazendo um salto qualitativo para a estadia dos doentes”.

Com esta intervenção, o Centro de Saúde da Calheta irá melhorar a atividade assistencial aos utentes, quer ao nível das consultas médicas, quer ao nível de consultas de outros profissionais de saúde.

Em declarações aos jornalistas, referindo-se à dotação de médicos de família, o titular da pasta da Saúde realçou que, em São Jorge, encontram-se em formação três internos de Medicina Geral e Familiar, que terminam o seu internato em 2021.

“Caberá a todos nós, desde logo aos Jorgenses, acarinhar esses médicos que já cá estão a trabalhar para que permaneçam no futuro”, afirmou Rui Luís, reiterando que o processo de fixação de médicos de família é uma preocupação do Governo extensível a toda a Região, com especial atenção para as ilhas sem hospital.

“Temos vindo a acelerar a contratação, fazendo com que a maioria fique cá”, sublinhou o Secretário Regional, acrescentando, por outro lado, que lhes estão a ser dadas “competências acrescidas através de formação adicional, como foi o exemplo, em 2018, do Curso de Emergência e Estabilização do Doente Crítico, que decorreu na Madeira”.

Em 2019, iniciaram a formação 80 jovens médicos, que, somando aos 128 já em processo de formação, totalizam mais de 200 internos em trabalho no Serviço Regional de Saúde, entre os quais estão médicos da área de Medicina Geral e Familiar.

 

foto/DR

AExpresso Online