CDS-PP defende ligações marítimas de passageiros entre continente, Madeira e Açores

Política Regional

Os líderes do CDS-PP da Madeira e dos Açores, Rui Barreto e Artur Lima, defenderam hoje que o Estado e a União Europeia devem empenhar-se no estabelecimento de ligações marítimas de passageiros entre os dois arquipélagos e o continente.

“A Madeira e os Açores são as duas únicas regiões insulares na Europa sem ligações [marítimas de passageiros] ao continente europeu”, disse o líder centrista madeirense.

Por seu lado, o homólogo açoriano sublinhou a necessidade de “chamar a atenção” da República e da União Europeia para que assistam aos “Encontro da Autonomia”, iniciativa onde ambos prestavam declarações.

Rui Barreto e Artur Lima falavam no Porto Comercial do Caniçal, no concelho de Machico, no âmbito dos “Encontros da Autonomia”, que decorrem na Madeira até terça-feira e reúnem elementos das estruturas do CDS-PP das duas regiões autónomas.

“É muito importante que, no quadro do relacionamento institucional entre a Madeira e os Açores, se possa encontrar formas para apoiar as ligações marítimas de passageiros e de mercadorias”, afirmou o madeirense Rui Barreto, sublinhando a necessidade “estimular relações comerciais” entre os dois arquipélagos.

Artur Lima vincou, por seu lado, que a continuidade territorial e a solidariedade nacional e europeia precisam de ser não apenas anunciadas, mas também praticadas, considerando “demasiadamente grave” o facto de a União Europeia dispor de subsídios “para tudo, menos para um encontro de autonomias”.

“Acho que é necessário, possível e urgente estabelecer-se uma ligação marítima [de passageiros] Lisboa-Funchal-Açores”, realçou.

O líder centrista açoriano disse ainda que o Estado e a Europa “não têm que inventar nada” no âmbito da continuidade territorial, bastando para o efeito dar às regiões autónomas aquilo a que têm direito.

“Esta visita tem o condão de estabelecermos um entendimento para que, junto da República, finalmente se possa entender que o princípio da continuidade territorial deve servir a estratégia do mar para o país”, indicou, por seu lado, o líder do CDS-PP/Madeira.

 

foto/DR

Lusa/AExpresso Online