Sofia Ribeiro quer mais Economia Social

Parlamento Europeu

Sofia Ribeiro moderou uma mesa redonda sobre o futuro da economia social, esta quarta-feira, no Comité Económico Social Europeu, em Bruxelas. A Eurodeputada, Vice-presidente do Intergrupo da Economia Social, coordenador da conferência, começou por reforçar a importância do setor, destacando a “resiliência das empresas da economia social em períodos de crise”.

A Eurodeputada apresentou a relevância crescente do setor face a desafios sociais que se perspetivam a muito curto prazo, “tais como os que decorrem do envelhecimento da população e de uma maior digitalização do mercado de trabalho”. “Estes são desafios que vão requerer uma maior diversificação de respostas sociais, o que implica um fortalecimento da economia social”.

A Social-democrata referiu que “criar um estatuto para as empresas continua a ser uma prioridade” até porque, explicou, “apenas através da consolidação do próprio conceito de empresa social ou solidária, é que estas instituições podem usufruir na totalidade das vantagens do mercado único e chegar diretamente a linhas de apoio Europeu, conferindo-lhes mais independência face aos Governos dos Estados-Membros”.

Estou muito satisfeita com o trabalho desenvolvido no âmbito do Intergrupo da Economia Social”, realçou Sofia Ribeiro, explicando que este grupo de trabalho “acabou também por ser mais uma força de pressão sobre aquela que deverá ser a Dimensão Social da União Europeia que indubitavelmente está mais equilibrada com a dimensão económica”.

O objetivo da mesa redonda foi apresentar o que a Europa ganha com aqueles que fazem parte do ecossistema da economia social, sejam elas cooperativas, fundações ou mutualidades. “Torna-se realmente importante celebrar aquilo que a economia social europeia alcançou neste mandato, fazendo a ponte para quais devem ser as futuras propostas”, finalizou Sofia Ribeiro.

 

foto/Sofia Ribeiro

Sofia Rieiro