Tomás Borba: Composição e Pedagogia

Dia 16 de fevereiro, pelas 20h30, é lançada a obra “Tomás Borba: Composição e Pedagogia”, coeditada pelo Instituto Açoriano de Cultura e pelo Instituto Histórico da Ilha Terceira, no salão nobre da Câmara Municipal de Angra do Heroísmo.

Em complemento a esta apresentação haverá um apontamento musical, na qual serão interpretadas canções eruditas de câmara e infantis, com a presença dos intérpretes Glória Pimentel – mezzo soprano; Ana Sousa – Contralto; Fábio Silveira – barítono; Pedro Carvalho – flauta; Edward Ayres d’ Abreu – piano e Francisco Rocha – piano.

Este trabalho, da responsabilidade de Duarte Gonçalves Rosa, Antero Ávila e Edward Luiz Ayres d’Abreu, procura refletir sobre alguns dos aspetos notáveis da obra do compositor e pedagogo terceirense Tomás Borba (1867-1950).

Coautor, com Fernando Lopes-Graça, do ilustrado “Dicionário de Música” (1956-58), uma das obras de referência no estudo da música, Borba foi ummúsico que cultivou diversos géneros de composição musical e, na opinião de Luís de Freitas Branco e de Frederico de Freitas, um dos primeiros compositores portugueses a usar os «estilos do modalismo e cromatismo».

A obra, agora publicada, contextualiza todo esse seu trabalho de composição, sendo ainda enriquecido com análises e seleção de obras que demonstram a inventividade e proficiência musicais do compositor. Aborda, também, o labor pedagógico de Borba, salientando o papel inovador que teve na pedagogia da música em Portugal, particularmente através da introdução do Canto Coral nas escolas e dos trechos que escreveu para as disciplinas de Educação Musical e Canto Coral, onde é bem evidente uma especial preocupação com a voz das crianças e a evolução da mesma pelos diversos níveis etários.

Tomás Borba: Composição e Pedagogia

Autor: Duarte Gonçalves da Rosa

Coautores: Antero Ávila e Edward Luiz Ayres d’Abreu

Edição: Instituto Açoriano de Cultura e Instituto Histórico da Ilha Terceira

 

IAC/AExpresso Online