Grupo Parlamentar do PSD/A repudia atitude do Secretário Regional da Saúde

Política Regional
Na sequência das declarações do Secretário Regional da Saúde sobre a situação do Hospital do Divino Espírito Santo, o Grupo Parlamentar do PSD/Açores vem manifestar o seguinte:

Na passada quinta-feira, 7 de fevereiro, o Grupo Parlamentar do PSD/Açores requereu o agendamento de um debate de urgência, a realizar no plenário de fevereiro da Assembleia Legislativa dos Açores, sobre a suspensão de cirurgias programadas no Hospital do Divino Espírito Santo.
No dia seguinte, 8 de fevereiro, o Secretário Regional Adjunto da Presidência para os Assuntos Parlamentares comunicou ao presidente do Grupo Parlamentar do PSD/Açores que o Secretário Regional da Saúde não estaria presente no plenário de fevereiro do Parlamento por motivos de saúde.
Na mesma comunicação, o Secretário Regional Adjunto da Presidência para os Assuntos Parlamentares deu a entender que, apesar da disponibilidade do Governo Regional para o fazer debate, seria de admitir efetuá-lo noutra altura, dado que o responsável político visado não poderia estaria presente.
No mesmo dia e atendendo às razões de força maior que foram invocadas pelo Governo Regional, o Grupo Parlamentar do PSD/Açores, por dever institucional e respeito democrático, cancelou o debate de urgência.
Esta decisão, tomada de boa-fé, foi ainda anunciada publicamente pelo presidente do PSD/Açores, Alexandre Gaudêncio, em declarações aos jornalistas na cidade da Horta.
Para enorme surpresa do Grupo Parlamentar do PSD/Açores, ontem, 12 de fevereiro, o Secretário Regional da Saúde, que não tinha condições de saúde para estar presente no Parlamento para debater o assunto em causa, prestou declarações à Antena 1/Açores – reproduzidas pela RTP/Açores – e ao Açoriano Oriental sobre a situação no Hospital do Divino Espírito Santo.
Quem não tem condições de saúde para participar num debate parlamentar também não está apto a dar entrevistas a vários órgãos de comunicação social.
Se o Governo Regional queria anunciar medidas relativas à grave situação que se vive no Hospital do Divino Espírito Santo, poderia perfeitamente ter delegado essa incumbência no Diretor Regional da Saúde ou na própria administração do Hospital de Ponta Delgada.
O Secretário Regional da Saúde, como principal responsável político pela suspensão de cirurgias no Hospital do Divino Espírito Santo, optou por tentar salvar a face, esquecendo rapidamente os problemas de saúde que o tinham impedido de participar no plenário do Parlamento.
O Grupo Parlamentar do PSD/Açores repudia esta atitude do Secretário Regional da Saúde e a falta de ética demonstrada, pois ignorou um ato de boa-fé e consideração pelo seu estado de saúde.
Trata-se de uma atitude de absoluto desrespeito pela Assembleia Legislativa e pelos representantes do Povo Açoriano.
foto/JEdgardo Vieira
AExpresso Online