Governo Regional dos Açores admite serviço de urgência com médico 24 horas/dia no Pico

Governo Regional Saúde

O Governo Regional dos Açores admitiu, ontem segunda-feira, a possibilidade da criação de um serviço de urgência com um médico em permanência durante 24 horas por dia na ilha do Pico.

O aumento de consultas de especialidade e um serviço de urgência com médico em permanência marcaram a reunião com o Conselho de Ilha do Pico, com o Governo dos Açores a mostrar abertura para estas matérias.

A saúde foi o tema que mais marcou a reunião do executivo regional com o Conselho de Ilha do Pico, que reivindica a necessidade de criar na ilha um serviço de urgência com um médico em permanência durante 24 horas por dia.

À saída da reunião, o presidente do Governo Regional, Vasco Cordeiro, reiterou que esta “é uma matéria que está a ser analisada.”

“Há uma componente que entra nesta análise e que é decisiva, que tem a ver com os recursos humanos disponíveis, mas não podemos dizer que é uma matéria completamente afastada do trabalho que o Governo está a fazer”, prosseguiu.

O presidente do Conselho de Ilha do Pico, Alexandre Amado, fez um balanço positivo do encontro, elogiando a “abertura para ser criado o tal serviço de urgências com médico em permanência durante 24 horas” diárias.

O líder do órgão consultivo destacou, no entanto, “a promessa do aumento das consultas de especialidade, sobretudo nas áreas de obstetrícia e de pediatria”.

A deslocação de especialistas à ilha do Pico é, também, uma questão que tem que ser analisada “do ponto de vista de disponibilidade de recursos humanos”, ressalvou o chefe do executivo.

Outro dos temas fortes da reunião foi o das acessibilidades à ilha. Mark Anthony Silveira, presidente da Associação de Municípios da Ilha do Pico (AMIP) e edil de São Roque do Pico, destacou os transportes como “o tema quente do momento ao nível das ilhas do triângulo” (Faial, Pico e São Jorge).

À semelhança do que já tinha feito, durante a reunião, a Secretária Regional dos Transportes e Obras Públicas, Vasco Cordeiro apontou para “o progresso indesmentível que, do ponto de vista da melhoria das acessibilidades aéreas ao Pico, foi garantido, de alguns anos a esta parte, com um aumento muito significativo do número de passageiros desembarcados na ilha do Pico.”

Para o presidente da AMIP,” na vertente aérea, a maior preocupação, neste momento, é a operação da Sata Azores Airlines”.

“Nos últimos tempos, tem havido alguns problemas com a regularidade dessas frequências, que tem trazido alguns prejuízos a todo o setor económico, ligado ao turismo, principalmente, mas também aos locais”, esclareceu.

O autarca lembrou que a administração da Sata reuniu com a AMIP e com a Associação de Empresários do Pico para analisar a operação da companhia aérea para a ilha e pediu mais regularidade nas ligações e que a oferta se adeque à procura que a ilha tem.

A reunião com o Conselho de Ilha do Pico aconteceu esta segunda-feira, o primeiro de três dias de visita do executivo regional à ilha.

 

foto/DR

Lusa/AE Online