Presidente do Governo dos Açores defende orçamento europeu ambicioso e reforçado

O presidente do Governo Regional dos Açores, que preside à Conferência das Regiões Periféricas e Marítimas da Europa (CRPM), defendeu a necessidade de o Conselho Europeu aprovar um orçamento ambicioso e reforçado.

“O próximo Quadro Financeiro Multianual 2021-2027, a configuração orçamental dos próximos fundos comunitários e, em particular, a Política de Coesão são oportunidades únicas para a União Europeia provar a ambição com que pretende encarar o seu futuro”, afirmou Vasco Cordeiro, citado numa nota do Gabinete de Apoio à Comunicação Social do executivo açoriano.

O presidente do Governo Regional falava em Palermo, Itália, na abertura da Assembleia-Geral da Conferência das Regiões Periféricas e Marítimas da Europa, organização que integra cerca de 160 regiões de 28 Estados europeus.

Segundo Vasco Cordeiro, “um dos grandes desafios da União Europeia é o de não se perder apenas em afirmações e palavras vãs, mas antes investir nas prioridades que defende e realizar uma Europa que não vire as costas àqueles que mais necessitam”.

Nesse sentido, sublinhou que a Política de Coesão, os fundos estruturais e a Política Agrícola Comum não podem ser sacrificados em prol de outras prioridades.

“Em causa não está apenas a questão financeira e a respetiva alocação orçamental, mas a própria ideia de Europa, a definição das prioridades da União Europeia para os próximos anos e a forma como poderão ser concretizadas”, frisou, referindo-se às negociações, no âmbito do Conselho Europeu que reúne, em Bruxelas, os chefes de Estado e do Governo até sexta-feira.

O chefe do executivo açoriano considerou que este é o momento de “afirmar o papel das regiões, não apenas como beneficiárias das políticas e das decisões das instituições europeias, mas também como atores que querem influenciar e modificar essas decisões”.

Vasco Cordeiro assumiu, pela primeira vez, em setembro de 2014, na Suécia, a presidência da CRPM, tendo sido reeleito, por unanimidade, nas assembleias-gerais deste organismo que decorreram em Ponta Delgada (Açores), em 2016, e no Funchal (Madeira), em 2018.

Em Palermo, estão reunidos cerca de 250 participantes, entre presidentes de regiões, políticos eleitos de toda a Europa e representantes de instituições europeias.

foto/DR

Lusa/AExpresso Online