O Presidente do Governo Regional, Vasco Cordeiro visitou a obra do Terminal de Cargas que vai fortalecer capacidade exportadora da Terceira e dos Açores

O Presidente do Governo iniciou ontem uma visita de três dias do Executivo à Terceira inteirando-se do andamento da obra de construção do Terminal de Cargas da Aerogare Civil das Lajes, um investimento de cerca de 4,6 milhões de euros que vai fortalecer a capacidade exportadora desta ilha e da Região.

“Esta é uma obra muito importante para a economia da ilha Terceira, mas também no contexto regional, uma vez que fortalece a capacidade exportadora da Região com a criação de condições adequadas para este objetivo”, afirmou Vasco Cordeiro.

Após ter visitado a obra, que se encontra a decorrer no prazo e dentro do orçamento estipulado, o Presidente do Governo adiantou que se prevê, assim, que esteja concluída em meados do próximo ano e pronta a entrar em funcionamento.

“Como acontece aqui na ilha Terceira, e à semelhança do que se verifica por toda a Região, há um conjunto de obras que estão em diferentes fases de execução e que visam fortalecer a atividade económica”, salientou Vasco Cordeiro, apontando o exemplo da intervenção no Porto de Pipas, em Angra do Heroísmo, com a construção da rampa RoRo, cujo concurso público já foi lançado.

“Este tipo de infraestruturas é importante porque ajudam a nossa economia e os nossos empresários na criação de riqueza e de emprego na nossa Região”, afirmou o Presidente do Governo, em declarações aos jornalistas.

“Temos uma situação que é prioritária e urgente e que tem a ver com a reposição e condições de maior segurança na operacionalidade do Porto das Lajes das Flores, mas há um conjunto de outras intervenções, derivadas da passagem do furacão Lorenzo e outras que não derivam do furacão Lorenzo, que não podem parar e continuarão a avançar”, assegurou.

Segundo disse, a decisão do Governo da República de assegurar 85 por cento dos cerca de 330 milhões de euros de estragos provocados por este furacão assume um significado muito importante, não apenas para os Açores, mas para todo o país.

“O significado desta decisão que o Governo da República tomou ontem não se esgota naquilo que tem a ver com os Açores, é mais profundo e tem um significado para todo o país, do ponto de vista da coesão regional e de um determinado entendimento da forma como nos articulamos enquanto país”, destacou o Presidente do Governo.

foto/DR

AExpresso Online