Vasco Cordeiro destaca importância da Cimeira dos Países Amigos da Coesão

O Presidente do Governo destacou a importância para a Região da Declaração Final subscrita por 15 Estados-Membros da União Europeia na cimeira que decorreu hoje em Beja, salientando que o documento tem aspetos que o Executivo açoriano tem defendido relativamente à Política de Coesão.

“Na Declaração Final, na sequência desta cimeira promovida pelo Primeiro-Ministro, António Costa, há três aspetos que se inserem naquilo que o Governo dos Açores tem defendido”, referiu Vasco Cordeiro em declarações aos jornalistas, em Ponta Delgada.

Segundo disse, o primeiro aspeto tem a ver com o volume de recursos financeiros para a Política de Coesão no período entre 2021 e 2027, uma vez que o documento saído da cimeira é “claro quando diz que, em termos reais, não devem ser inferiores aos que estão no atual Quadro Comunitário de Apoio”.

“Em segundo lugar, a Declaração Final é também clara quando refere que a taxa de comparticipação se deve manter até 85 por cento”, sublinhou o Presidente do Governo, ao destacar ainda o facto de o documento considerar que outros instrumentos comunitários, como o Plano Juncker e o Mecanismo para uma Transição Justa, devem ser complementares e não devem colocar em causa a Política de Coesão.

“Esta foi uma cimeira particularmente importante e útil para o nosso país e para a nossa Região”, salientou o Presidente do Governo, para quem “hoje foi dado mais um passo, um passo no qual o Primeiro-Ministro teve um papel decisivo, que vai no bom sentido, mas é ainda necessário continuar a trabalhar” na defesa da Política de Coesão e da Política Agrícola Comum.

Vasco Cordeiro enalteceu, ainda, a importância da iniciativa do Primeiro-Ministro, António Costa, que conseguiu reunir à volta da defesa da Política de Coesão 15 dos 27 países da União Europeia.

“A importância desta circunstância é bem clara se tivermos presente que, por exemplo, no atual Quadro Comunitário de Apoio – 2014-2020 – cerca de 98 por cento das verbas que chegaram ao nosso país de fundos comunitários foram ao abrigo da Política de Coesão ou da Política Agrícola Comum”, reforçou o Presidente do Governo.

foto/DR

AExpresso Online